Muita descontração e interesse marcaram a realização do Workshop da ação “Você é o repórter”, que teve como objetivo preparar repórteres cidadãos 60+ para cobrir as atividades da edição 2017 da Virada da Maturidade, marcada para acontecer entre os dias 27 de setembro e 1º de outubro em São Paulo. A iniciativa tem um caráter intergeracional e, assim, também estiveram presentes jovens: a ideia é formar duplas compostas por um idoso e um jovem para a cobertura.entrevista

Na primeira parte da ação, a jornalista Lilian Liang, editora da Revista Aptare e especialista em Gerontologia pela Unifesp, apresentou conceitos básicos de jornalismo, comentando o que é notícia e como estruturar um texto jornalístico. A segunda etapa foi prática. Em uma simulação de uma entrevista coletiva, os presentes foram convidados a entrevistar uma pessoa e produzir um breve texto resultante daquilo que foi perguntado e respondido.

A experiência se mostrou inspiradora para Marie Claire, que escreveu uma crônica sobre o dia e uma situação passada no metrô em sua volta para casa, confira:

“Foi um dia diferente. 
O workshop “Você é o repórter” terminou.  Aprendi muito. Fiz novas amizades e me encantei com a interação dos jovens presentes. Saí do prédio em companhia da minha querida amiga e juntas, conversando, fomos em direção ao metrô. Minha bolsa, contendo um novo desafio repleto de ideias estava um pouco mais pesada.  Na estação, nos apressamos a entrar no vagão quase vazio onde confortavelmente acomodadas seguimos papeando e rindo.  Tudo estava correndo muito bem até a estação Paraíso. Lá fizemos baldeação e no caminho para outra estação paramos para contemplar os versos místicos do poeta Alphonsus de Guimaraens gravados na parede. Então, as animadas comadres entraram no vagão do primeiro trem que apareceu sem sequer verificar o destino.  Sentaram num banco que estava livre e prosseguiram rindo com a conversa animada. Os passageiros olhavam para nós e sorriam contagiados com a nossa empolgação.
E o trem partiu!
Nós perdemos em meio a nossa animação!
Foi então que minha amiga constatou: -“Nossa, peguei o trem errado; preciso descer e voltar…”  Deveria ter ido em direção oposta. A esta altura, o vagão já estava mais cheio e a porta do desembarque se escondia atrás dos inúmeros passageiros. Fiquei apreensiva.  Nossa exclamação foi em alto tom.  –“Vai abrir deste lado!”  No vagão, todos  queriam assegurar o desembarque  perfeito da minha amiga.   O Trem chegou na estação, mas a porta não abriu logo.  -“Não se afobe moça”, disse uma senhora ruiva sorrindo. –“Isto acontece!”.
Eram muitas pessoas querendo descer! 
Por fim, para a felicidade dos passageiros que estavam torcendo por um final feliz, aos ‘trancos e barrancos’ minha amiga conseguiu sair do trem e seguir para casa. As portas do vagão se fecharam e, aliviada, sorrindo acenei para ela.”participantes